Texto Maior
Texto Maior
Texto Maior
Texto Menor
Texto Menor
Texto Normal
Texto Normal
Contraste
Contraste
Libras
Libras
Vlibras

O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Acesso à informação
Acesso à informação

São Miguel Arcanjo, quarta-feira, 06 de julho de 2022 Telefone (15) 3279-1815

Atendimento Atendimento: 9h às 18h de segunda a sexta-feira

Terç
05/07
Predomínio de Sol
Máx 27 °C
Min 8 °C
Índice UV
5.0
Quar
06/07
Parcialmente Nublado
Máx 27 °C
Min 8 °C
Índice UV
5.0
Quin
07/07
Predomínio de Sol
Máx 27 °C
Min 11 °C
Índice UV
5.0
Sext
08/07
Predomínio de Sol
Máx 23 °C
Min 10 °C
Índice UV
5.0

Administração - Quarta-feira, 15 de Junho de 2022

Buscar Notícia

Notícias por Categoria

Vereadores apresentam Projeto de Lei Complementar para que cobrança do Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis siga norma do STJ

Projeto de Lei Complementar para Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis


Vereadores apresentam Projeto de Lei Complementar para que cobrança do Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis siga norma do STJ

 


 

Os Vereadores Agnaldo Pereira Júnior (Guininha), Cláudio Satoru Watanabe e Gabriel Ratto Domiciano, apresentaram nesta Sessão Legislativa de quarta-feira(15), um Projeto de Lei para instituir o imposto sobre a transmissão de bens e imóveis no município de São Miguel Arcanjo, além de pedirem a revogação daLei Complementar nº 7, de 4 de dezembro de 2018, que “institui o valor venal de referência para fins de ITBI - imposto de transmissão de bens imóveis, para que o município siga as regras estabelicidas pelo Superior Tribunal Regional ( STJ).


 


 

JUSTIFICATIVA


 

Em recente decisão, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu três teses relativas ao cálculo do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) nas operações de compra e venda: 


 

a) a base de cálculo do ITBI é o valor do imóvel transmitido em condições normais de mercado, não estando vinculada à base de cálculo do IPTU, que nem sequer pode ser utilizada como piso de tributação;


 

b) o valor da transação declarado pelo contribuinte goza da presunção de que é condizente com o valor de mercado, que somente pode ser afastada pelo fisco mediante a regular instauração de processo administrativo próprio (art. 148 do CTN); 


 

c) o Município não pode arbitrar previamente a base de cálculo do ITBI com respaldo em valor de referência por ele estabelecido unilateralmente.”1 Deste modo, a atual forma de cobrança realizada pelo Município não está de acordo com o que decidiu o tribunal, uma vez que, além de estabelecer o valor venal, estipula condições nas quais este seja considerado como base de cálculo em vez do valor do negócio jurídico.


 

Segundo os Vereadores é necessário se adequar a legislação tributária municipal para evitar questionamentos judiciais do povo ao Município.


 

 

Projeto de Lei Complementar Nº 4/2022


 


 

Autoria: GABRIEL RATTO DOMICIANO, AGNALDO PEREIRA JUNIOR, CLÁUDIO SATORU WATANABE 


 

Assunto:Altera a Lei nº 1.481, de 19 de dezembro de 1988, que “institui o imposto sobre a transmissão de bens imóveis e dá outras providências”, e revoga a Lei Complementar nº 7, de 4 de dezembro de 2018, que “institui o valor venal de referência para fins de ITBI - imposto de transmissão de bens imóveis, e dá outras providências”, para adequar a base de cálculo do ITBI à jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça. 


 

FacebookTwitterWhatsAppImprimir

Voltar para a listagem de notícias

Covid-19

CALENDÁRIO DE EVENTOS

ACOMPANHE-NOS

Versão do sistema: 2.0.0 - 01/07/2022

Portal atualizado em: 30/06/2022 21:55:55

Câmara Municipal de São Miguel Arcanjo - SP.
Usamos cookies para melhorar a sua navegação. Ao continuar você concorda com nossa Política de Cookies e Políticas de Privacidade.